Gaeco quer penas altas para os integrantes do bando de roubo a bancos em SC e no PR

O Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) buscará a condenação com penas altas aos integrantes de uma quadrilha de assaltantes de banco presa em Santa Catarina e Paraná.

Armas apreendidas durante a Operação Integração do dia 02/08/2017
Imagem: Gaeco/Divulgação
De acordo com promotor Alexandre Graziotin, coordenador do Gaeco em Florianópolis, a intenção é que haja processo judicial por roubo, porte de arma, entre outros delitos, em cada cidade em que houve os ataques.

Além disso, ressaltou o promotor, o Gaeco deverá concluir um inquérito principal com denúncia aos envolvidos pelo crime de organização criminosa na Comarca de Porto União, onde se originou a investigação do Ministério Público.

Gaeco/Divulgação
Doze pessoas foram presas nos últimos meses. Destas, há fortes indícios de participação na quadrilha contra nove deles. Os dois principais líderes estão entre os presos, mas nenhum teve o nome divulgado até agora.

De acordo com o promotor Assis Marciel Kretzer, coordenador do Gaeco em Joinville, outras pessoas ainda não são investigadas. 

A origem dos 80 quilos de explosivos apreendidos em uma casa em Camboriú, na quarta-feira, é outra frente de apuração que está sendo desenvolvida.

Vídeo da ação da quadrilha em Porto União (SC) filmada por câmeras de segurança.
Estas imagens foram mostradas na coletiva de imprensa realizada no dia 02/08 que também pode ser vista no site do Ministério Público de Santa Catarina


Tecnologia do Blogger.