Dona de imóvel acha inquilina e os filhos mortos, em Joinville

Na manhã de sexta-feira (25), na rua Ursa Maior, no bairro Guanabara em Joinville, uma vizinha desconfiou do silêncio na residência ao lado.

O local é um conjunto de pequenos apartamentos, e geralmente, era possível escutar crianças rindo e brincando.


Preocupada, a vizinha chamou a dona do imóvel, que após algumas tentativas de entrar em contato com a inquilina através de mensagens sem receber respostas, resolveu adentrar no apartamento usando uma chave reserva.

O local é um conjunto de pequenos apartamentos/Divulgação
A mulher encontrou primeiramente as duas crianças, Pedro Henrique de 6 anos e Isabela de 3, já rígidas em cima de uma cama.
A mãe das crianças, Ana Paula Leme dos Santos Bilibio, de 23 anos, estava do ladro lado do quarto, também morta, enforcada.
A polícia acredita que o crime tenha acontecido há pelo menos dois dias.

A suspeita é que a mãe tenha matado os filhos e depois cometido suicídio. No imóvel, que estava trancado por dentro, não havia sinais de arrombamento.  A Polícia Civil vai investigar o caso.

Segundo informações apuradas pelo Diário Catarinense,  a família morava no local há pouco menos de um ano. Ana era natural da cidade de Laranjeiras do Sul, no Paraná, e veio morar na zona Sul de Joinville sozinha. 

Pelo estado dos corpos, polícia acredita que o crime tenha acontecido há pelo menos dois dias.
Quando conseguiu se estabilizar, trouxe os dois filhos que estavam na casa da avó. O lar da família Bilibio contava com quatro cômodos: quarto, sala, cozinha e banheiro. No dormitório, havia apenas uma cama que era dividida pelos três.

De acordo com a proprietária do sobrado, inicialmente a mãe trabalhava em uma pizzaria. Mas, há pelo menos três meses, estava desempregada. Por este motivo, as contas começaram a acumular e Ana sobrevivia fazendo bicos, limpando casas pela vizinhança.
Ainda conforme a dona do imóvel, o aluguel da família estava atrasado.

Ana Paula e a filha Isabela. Reprodução NSC/TV
A jovem tentava abater parte dos valores limpando também as quitinetes dos moradores do condomínio. Vendo a luta de Ana, a dona da casa procurava ajudá-la, cuidando dos dois pequenos no período em que ela procurava emprego.

A proprietária também informou que nas últimas semanas a jovem estava se queixando da dificuldade em arrumar emprego e que cogitava retornar ao Paraná.

— Ela disse que estava difícil arrumar um trabalho. Mas eu também falei que não podia mais ficar com eles (as crianças) porque preciso cuidar da minha mãe que mora em Curitiba – desabafou.

Com informações do G1 e Diário Catarinense
Tecnologia do Blogger.