Canoinhense é preso pela Polícia Civil do Paraná suspeito de aplicar golpes pela internet

O suspeito aplicou diversos golpes pela internet através de um site administrado por ele. O site vendia ferramentas, recebia os valores por meio de pagamentos online e os produtos não eram entregues.


O Núcleo de Combate aos Cibercrimes (Nuciber) prendeu um homem, de 43 anos, suspeito pelo crime de estelionato, durante uma ação batizada como “Operação Tombrazil” desencadeada na manhã de terça-feira (1º).

O homem foi preso em Canoinhas/SC, na residência de seus pais. A operação contou com o apoio da Polícia Civil de Canoinhas.

O suspeito foi preso em Canoinhas, suspeito de aplicar diversos golpes pela internet.
Imagem: Polícia Civil do Paraná

De acordo com a equipe, o suspeito encontrava-se foragido da Justiça há aproximadamente dois anos – quando iniciaram as investigações. 

Conforme apurado, o homem é natural de Canoinhas e estava morando em Curitiba, porém mudou-se para o estado vizinho e passou a morar com os pais, local em que foi localizado. 

Na residência, os policiais apreenderam um notebook, dois HDs, um celular, um pendrive e um caderno de protocolo de correspondências.

Segundo informações policiais, o suspeito aplicou diversos golpes pela internet através de um site administrado por ele, conhecido como www.tombrazil.com.br, nos anos de 2012 e 2013. 

O site vendia ferramentas, recebia os valores por meio de pagamentos online e os produtos não eram entregues.

Foram apreendidos um notebook, dois HDs, um celular, um pendrive e um caderno de protocolo de correspondências.
Imagem: Polícia Civil do Paraná

Quando os policiais o questionaram sobre as suspeitas que havia sobre ele, o homem alegou que não sabia que estava sendo investigado, porém confirmou que os produtos comprados em seu site não foram entregues.

O delegado-titular do Nuciber, Demétrius Gonzaga de Oliveira, afirma ainda que, o homem também era detentor dos domínios www.compraperfeita.com.br e www.colomboalarmes.com.br e atualmente é responsável por uma loja online, nomeada “Store Latina”, gerenciada através de uma rede social. 
“Somente na especializada, o suspeito era investigado em três inquéritos policiais”, finaliza.

O suspeito foi levado para Curitiba e encaminhado para o Centro de Triagem I, onde permanece preso à disposição da Justiça, pelo crime de estelionato.