Funk pode ser enquadrado como crime de saúde pública

O argumento é de que o estilo incita a delitos como estupro, exploração sexual e consumo de drogas ilícitas.

Uma proposta de lei, enviada ao Senado pelo empresário paulista Marcelo Alonso, sugere que o gênero musical - Funk - seja considerado "crime de saúde pública à criança, aos adolescentes e à família”.

Baile funk na Favela da Rocinha/RJ.  Imagem: Internet
“O funk faz apologia ao crime, fala em matar a polícia. Sou pai de família e se eu não me preocupar com o futuro, amanhã só teremos marginais”, disse Alonso.

A proposta também associa o estilo carioca a crimes como estupro, exploração sexual e consumo de drogas ilícitas.

A sugestão legislativa que foi apresentada em maio deste ano,  já recebeu apoio de mais de 20 mil pessoas, mas ainda precisa ser aprovada pelo Senado Federal.
Qualquer cidadão que quiser criar novas leis ou modificar as existentes pode enviar sugestões através do site do Senado.
Caso o projeto respeite os termos de uso, ele é publicado na página e fica durante quatro meses para receber assinaturas.
Se chegar a 20.000, a proposta vai para a Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa e é debatida pelos senadores.
O assunto é polêmico e já despertou indignação entre artistas e fãs.
Para o professor da Faculdade de Direito de Vitória (FDV), Daury Cesar Fabriz, a proposta esbarrará em princípios constitucionais. 

“A Constituição estabelece a cultura como um direito fundamental. Cabe ao Estado valorizar a diversidade cultural de nosso país e o funk faz parte disso. Além disso, também é previsto o direito à liberdade de expressão”.
Com tanta lei importante esperando para ser aprovada....(sem comentários).