A crise atinge a PRF e corporação suspende atividades em todo o território nacional

A Polícia Polícia Rodoviária Federal anunciou na manhã desta quarta-feira (5), a suspensão imediata de diversos serviços e a redução do patrulhamento nas rodovias a partir desta quinta-feira (6).

As dez aeronaves que prestam socorros as vítimas de acidentes serão desativadas. Imagem: PRF
Com limites para aquisição de combustível, manutenção e diárias, a corporação diz que adotará as medidas para adequação à "nova realidade orçamentária", diante do contingenciamento imposto pelo Governo Federal.


Veja as atividades afetadas:

  • Suspensão, a partir desta quinta-feira (6), dos serviços de escolta de cargas superdimensionadas e escoltas em rodovias federais;
  • Suspensão imediata das atividades aéreas (policiamento e resgate);
  • Redução imediata dos deslocamentos terrestres de viaturas em patrulhamento;
  • Desativação de unidades operacionais;
  • Alteração do horário de funcionamento das unidades administrativas, com priorização de atendimento ao público entre 9h e 13h;


Na prática, ficam suspensas as rondas em todas as rodovias. Segundo a PRF, serão priorizados os atendimentos a acidentes com vítimas, os deslocamentos em casos de crime e de auxílios que sejam de competência exclusiva da Polícia Rodoviária.

Nos próximos dias, será divulgado um cronograma com o fechamento dos postos da PRF em todo o Brasil.

As dez aeronaves que prestam auxílio a vítimas de acidentes, entre outras funções, ficam desativadas.

Emissão de passaporte


Desde 27 de junho, também por falta de verbas, a Polícia Federal suspendeu a emissão de passaportes. Em média, a PF faz oito mil atendimentos por dia de pessoas que requisitam a emissão de passaporte.