Presídio de Joinville é interditado e não receberá mais detentos até que problemas sejam resolvidos

O Presídio Regional de Joinville foi interditado na manhã desta segunda-feira (26), pelo juiz João Marcos Buch, titular da 3ª Vara Criminal e corregedor do sistema prisional da comarca.

O local não pode mais receber nenhum detento até que os problemas sejam resolvidos pelo Departamento de Administração Prisional (Deap).

Juiz João Marcos Buch esteve em visita ao presídio nesta segunda, 26
Entre os problemas apontados, estão a capacidade máxima do Presídio Regional, que é de 506 vagas para detentos e 74 para detentas, mas, em abril, a população carcerária da unidade era de 761 homens.
Segundo o juiz, cerca de 350 estão cumprindo pena no presídio, mas deveriam estar na penitenciária, de acordo com a Lei de Execução Penal.

O diagnóstico produzido pela OAB de Joinville demonstrava preocupação com o convívio entre presos de baixa periculosidade, por vezes cumprindo apenas prisão provisória, com membros de facções criminosas.

Presídio Regional de Joinville - Salmo Duarte/A Notícia
Além da superlotação, há problemas estruturais dos prédios, com esgotos abertos e insalubridade, inclusive nos dormitórios dos agentes penitenciários.

O documento de interdição também aponta recursos humanos insuficientes, com problemas no fornecimento de roupas e material de higiene.