Três Barras debate o que fazer em caso de desastres naturais


Elaboração do Plano de Contingência da Defesa Civil em Três Barras

Ferramenta fundamental no sentido de apresentar respostas rápidas e articuladas visando à redução de prejuízos e, inclusive, o salvamento de vidas em casos de desastres naturais, o Plano de Contingência da gestão 2017/2020 foi debatido durante reunião em Três Barras na manhã desta quarta-feira, 03, no plenário da Câmara Municipal.

Coordenador regional da Defesa Civil, Edson Antocheski, repassou informações técnicas aos participantes do encontro.

Participaram do encontro o prefeito Luiz Shimoguiri, secretários e servidores públicos municipais, vereadores e representantes da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e do Exército Brasileiro (Campo de Instrução Marechal Hermes), além do coordenador municipal de Proteção e Defesa Civil, Paulo Henrique Pospor.
Coordenador regional da Defesa Civil, Edson Antocheski, repassou informações técnicas e orientou os participantes sobre as obrigações de cada órgão envolvido em possíveis ações de emergência.

Ao enaltecer a iniciativa do grupo em se organizar e elaborar o plano de contingenciamento, falou sobre as áreas de risco do município e da importância de se ter disponibilidade de recursos humanos, materiais e financeiros no caso de ocorrência de desastres.

Antocheski também solicitou a definição, por parte do poder público municipal, de locais que eventualmente servirão de posto de comando para a ativação do plano de contingência e de abrigos para afetados por possível evento natural.

Uma nova reunião ficou agendada para as 09h do dia 06 de junho, no plenário da Câmara, espaço já definido para receber o posto de comando da Defesa Civil. Na ocasião a coordenadoria municipal deverá apresentar a prévia do plano de contingência, tendo como base informações repassadas por órgãos e secretarias municipais.

Fundo

Fora o levantamento e o monitoramento das áreas de risco e a tomada de providências em resposta a determinado cenário, prefeito Luiz Shimoguiri entende que o município deve estar também preparado financeiramente para atender rapidamente possíveis atingidos por desastres naturais.

Por esse motivo propôs a criação de um Fundo Municipal de Proteção à Defesa Civil, onde inicialmente seriam depositados R$ 100 mil para custear despesas emergenciais. Antes de ser colocada em prática, a medida deve ser debatida com os vereadores.