Não foi assalto. Jovem semi decapitado mentiu para a polícia por medo


O caso do jovem que apareceu semi decapitado, deixou muita gente perplexa. O caso aconteceu em Penha, litoral norte de Santa Catarina, no início do mês de abril.


Desde então, a Polícia Civil vinha investigando o caso. A vítima, Pablo Patrik de Souzade 17 anos, que não tem passagem pela polícia, sempre negou que estivesse envolvido com tráfico, sustentou que foi uma tentativa de assalto. Puro medo.

Após os policiais civis garantirem a sua segurança, ele resolveu contar o que realmente aconteceu.

O jovem contou que há cerca de três meses vinha vendendo drogas para Gilmar Fortunato, vulgo “Gordo”.
Certa vez ele pegou 20 tubos de removedor de solda para vender como “loló”, a R$ 50,00 cada um, mas acabou usando toda a droga e ficando com uma dívida de R$ 1.000,00.

O traficante vinha cobrando a grana do adolescente que  acabou pegando a cocaína do traficante sem ele saber, com a intenção de vender e pagar a dívida. "Gordo" descobriu  o roubo e decidiu matá-lo.

Na noite de 2 de abril, por volta das 21h30min, a vítima recebeu uma ligação de T. L.S,  de 19 anos, conhecida como Zica.

Ela pediu para que o jovem a encontrasse em frente a um restaurante.
Quando chegou ao local combinado, foi surpreendido por Gordo, que estava acompanhando Zica.

Eles o levaram até a Ponta da Vigia, mandaram ele descer do carro e ficar de quatro no chão.

Segundo a vítima, foi 'Zica' quem pegou uma faca e começou a cortar o seu pescoço, enquanto "Gordo" dizia que o adolescente serviria de exemplo para que ninguém pegasse o que era seu.

No sábado (22),  a Polícia Civil prendeu o traficante Gilmar Fortunato, 26 anos, conhecido como "Gordo", suspeito do crime.
A jovem sumiu depois que soube da prisão do "Gordo", Gilmar Fortunato´.
Para a polícia, ela é foragida.

O jovem que foi quase decapitado, permaneceu internado por vários dias, devido a gravidade do ferimento, mas recupera-se bem.
Relembre o caso.

Diarinho