Se gritar pega ladrão..(será que sobra um meu irmão?)


A Confederação Brasileira de Aposentados, Pensionistas e Idosos (COPAB) e o senador Paulo Paim (PT-RS), conseguiram o número necessário de assinaturas para instaurar a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar a real situação financeira da Previdência Social.

Para a abertura desta CPI eram necessários que dois terços dos 81 senadores assinassem o pedido (ou seja, 27 membros). 
Paulo Paim conseguiu que, até agora, 29 parlamentares assinassem o documento, garantindo a instauração da investigação nos cofres do INSS durante as últimas décadas. 

Espera-se que outros senadores assinem, para que a CPI ganhe mais força e maior representatividade política.
Esse fato é inédito. Pela primeira vez, em 92 anos de existência, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) sofrerá uma severa investigação.
Serão apurados desvios de verbas, fraudes, sonegações e todos os tipos de irregularidades.
O Senado terá até 120 dias para concluir a investigação na contabilidade do setor. Essa façanha pode “engessar” a maldita Reforma da Previdência e também impedir sua aprovação no Congresso Nacional.

Empresas devem bilhões ao INSS

Os devedores da Previdência Social acumulam uma dívida de R$ 426,07 bilhões.
Na lista de devedores, que tem mais de 500 nomes, aparecem empresas públicas, privadas, fundações, governos estaduais e prefeituras que devem ao Regime Geral da Previdência Social.
O levantamento foi feito pela Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, responsável pela cobrança dessas dívidas.

Algumas dessas dívidas começaram na década de 60.
A antiga companhia aérea Varig, que faliu em 2006, lidera a lista com R$ 3,713 bilhões. O levantamento inclui outras instituições que também decretaram falência: Vasp, que encerrou as atividades em 2005 e teve a falência decretada em 2008, com dívida de R$ 1,683 bilhão; o antigo Banco do Ceará (Bancesa), com uma dívida de R$ 1,418 bilhão; e a TV Manchete, que tem débitos no valor de mais de R$ 336 milhões.

Grandes empresas também constam entre os devedores da Previdência, como a mineradora Vale (R$ 275 milhões) e a JBS, da Friboi, com R$ 1,8 bilhão, a segunda maior da lista.

A lista inclui ainda bancos públicos e privados, como a Caixa Econômica Federal (R$ 549 milhões), o Bradesco (R$ 465 milhões), o Banco do Brasil (R$ 208 milhões) e o Itaú Unibanco (R$ 88 milhões).

A Procuradoria-geral da Fazenda Nacional tenta recuperar parte do dinheiro por meio de ações na Justiça. No ano passado, foram recuperados aproximadamente R$ 4,150 bilhões, cerca de 1% do total devido.

Fontes: Assessoria de Imprensa COBAP
       Anasp.org