Unidade de Saúde é construída sem rampas de acesso para ambulâncias e cadeirantes

Passarelas que deveriam ligar o piso térreo até o superior não constam no projeto de engenharia; Prefeito de Três Barras pede explicações sobre a obra iniciada pelo governo anterior

Construído para abrigar uma nova Unidade Básica de Saúde no piso superior, o prédio público localizado nas proximidades das secretarias de Educação e Saúde, no centro de Três Barras, está longe de atender às exigências mínimas de acessibilidade aos munícipes.


Projetado pelo governo anterior e com o primeiro pavimento ainda inacabado, a estrutura chama a atenção pela falta de rampas de acesso tanto para ambulâncias e veículos que devem realizar o embarque e desembarque de pacientes, quanto para os portadores de necessidades especiais.
Única ligação existente é uma escada, que fica em um dos lados do prédio.

O prefeito Luiz Shimoguiri (PR) pediu explicações ao setor de Planejamento da prefeitura, já que as rampas não constam nem no projeto de engenharia para a edificação do prédio. “Assim como está, ficou uma construção sem acesso e sem serventia alguma”, observou.

Ao setor de Planejamento ainda foram solicitados esclarecimentos inerentes ao custo total da obra, os valores já pagos à construtora e se houve o cumprimento integral dos pagamentos por parte da prefeitura e dos serviços prestados pela empresa executora. “Só assim poderemos saber que decisão tomar”, garantiu o prefeito.

Ocioso

Informações dão conta que a ideia da antiga administração era trazer a vigilância sanitária para o piso inferior do prédio. Ao contrário do segundo pavimento que já está pronto, o espaço ainda está sem paredes, no bruto e ocioso.
As calçadas no entorno do prédio foram iniciadas, mas não terminadas. Falta também construir o estacionamento.

Shimoguiri disse não saber como o espaço será ocupado, até porque precisa fazer uma análise técnica e criteriosa de qual setor poderia melhor se adequar ao local e, principalmente, servir a comunidade.