Big Brother 2017 - Quem são os novos (velhos) participantes.


A nova (velha) edição do BBB 2017 vai ao ar nesta segunda (23) e não trás novidades, a não ser a parte externa da casa que foi totalmente reformulada e ganhou cores novas.

A atração comandada por Tiago Leifer, terá (como sempre), mulher bonita e gostosa(...), homens bonitos e sarados.
Terá gêmeos, gêmeas, estudante, jornalista, diplomata, advogada, comerciante, aposentada, cirurgião plástico, agente de trânsito, cabeleireira, advogado, bailarina e, inusitado, uma deficiente física.

Não poderia encerrar este texto sem contar o caso de uma senhora muito simpática que conheço há alguns anos.
Essa senhora, certa vez, pagou o “pay per view” do Big Brother. Em uma tarde, sentou em sua sala para ver o programa e passou quarenta minutos vendo um homem deitado parado.

Neste tempo ela ficou esperando para ver o que aconteceria, se algo seria mostrado. Por fim, ela percebeu que o sinal estava com um problema e que a imagem havia ficado congelada.

Penso que este caso real serve com uma metáfora para vida de muitos que ligam a TV em uma emissora e assistem um programa por pura inércia, sem realmente gostarem dele ou terem uma real diversão assistindo.

A Globo designou "olheiros virtuais" para buscarem perfis de pessoas interessantes e bem-sucedidas em suas carreiras, em uma tentativa de deixar o programa mais interessante (se é que é possível).

Com a participante mais velha da história do BBB (Ieda, de 70 anos) e uma deficiente física no elenco, o reality terá que se adaptar à diversidade de seus participantes.
Nova fachada da casa do BBB/2017
Por isso, o programa pretende pegar um pouco mais leve em suas provas. Os desafios puramente físicos, de agilidade e força, devem ceder espaço para mais testes de raciocínio, conhecimentos gerais e memória.

Por que você assiste Big Brother?

Quero encerrar esse este texto contando o caso de uma senhora muito simpática que conheci há alguns anos, numa cidadezinha no interior de São Paulo.

Essa senhora, certa vez, pagou o “pay per view” do Big Brother. Em uma tarde, sentou em sua sala para ver o programa e passou quarenta minutos vendo um homem deitado parado. 
Neste tempo ela ficou esperando para ver o que aconteceria, se algo seria mostrado.

 Por fim, ela percebeu que o sinal estava com um problema e que a imagem havia ficado congelada. 
Penso que este caso real serve com uma metáfora para vida de muitos que ligam a TV em uma emissora e assistem um programa por pura inércia, sem realmente gostarem dele ou terem uma real diversão assistindo.